SEATTLE website template

Breve histórico

Swami Vivekananda (1863-1902), conhecido em sua vida pre-monástica como Narendra, foi o principal discípulo de Ramakrishna e um porta-voz mundial da Vedanta. Dotado de profunda espiritualidade e poderoso intelecto, teve uma vida curta (viveu somente 39 anos), mas altamente produtiva.

Um gênio espiritual de grande intelecto e poder, realizou intenso trabalho e dedicação à espiritualidade; Narendra Nath nasceu na família Datta de Kolkata (Calcutá). Desde Cedo o jovem Vivekananda abraçou as diversas filosofias agnósticas e científicas do pensamento Ocidental. Ao mesmo tempo o veemente desejo de conhecer a Verdade, levou-o a questionar os santos e sábios a fim de saber se afinal eles haviam visto Deus, perguntando se eles tinham visto Deus. Sua busca teve fim ao encontrar Ramakrishna, que lhe respondeu sem hesitar: "Sim, já vi Deus. Eu O vejo como vejo você aqui, só que mais claramente. E posso mostrá-Lo a você também. Deus pode ser realizado. Podemos vê-Lo e conversar com Ele, assim como o estou fazendo com você". A partir de então, torna-se discípulo de Ramakrishna, seguindo seus ensinamentos e alcançando a mais elevada realização espiritual.

Depois da morte de seu mestre, Vivekananda renunciou ao mundo e peregrinou, como monge errante, por toda a Índia. Sentiu-se profundamente tocado pela riqueza espiritual de seu país, mas também pela extrema pobreza material de seu povo. Isso o levou a buscar ajuda material do ocidente para minorar esse sofrimento. Diante da oportunidade de representar o hinduísmo no Parlamento das Religiões de Chicago, em 1893, sentiu que esse era o momento de dar início à sua missão.

Em virtude da universalidade e do caráter inclusivo de seus ensinamentos, encontrou ampla receptividade de uma audiência que, por sua vez, estava ávida por ensinamentos espirituais genuínos e não dogmáticos. Assim, Vivekananda conquistou instantânea notoriedade na América do Norte. Por alguns anos divulgou a filosofia vedanta nos Estados Unidos e na Inglaterra. Em seu retorno à Índia, em 1897, fundou a Ordem Ramakrishna, cujo lema é: "Buscar a própria realização espiritual e servir a Deus no homem".


Seus primeiros anos

Narendra Nath Datta, nasceu em uma família abastada em Calcutá no dia 12 de janeiro de 1863. Seu pai, Vishwanath Datta, era um advogado próspero com interesses em uma extensa gama de assuntos; e sua mãe, Bhuvaneshwari Devi, era dotada de profunda devoção, forte caráter e outras nobres qualidades. Um menino precoce, Narendra era proeminente em música, desportos e nos estudos. Até que se formasse pela Universidade de Calcutá, havia adquirido um vasto conhecimento sobre áreas diferentes, especialmente Filosofia Ocidental e História. Nascido com um temperamento de Iogue, já empregava a prática da meditação mesmo em sua juventude, tendo freqüentado o Movimento Brahmo Samai durante algum tempo.

Praticando Segundo Outras Crenças

Com sua sede inextinguível por Deus, Sri Ramakrishna quebrou as fronteiras do Hinduísmo, planou pelos caminhos do Islã e do Cristianismo. Desejava conhecer o como os devotos de outros credos cultuavam a Deus. Praticou segundo estas crenças e atingiu a realização mais alta em cada uma delas e num lapso de tempo muito curto. Concluiu que pela prática sincera das disciplinas destas religiões também se chegava ao mais alto estado de consciência e comunhão com o Espírito Supremo.

Considerava Jesus e Buda como encarnações de Deus, e venerou os dez Gurus do Sikismo. Expressou a quinta-essência de seus doze anos de realizações em um dictum simples: Yato mat, tato path - “Tantos são os caminhos, assim muitas são as religiões.” A partir daí, ele permaneceu habitualmente num estado muito elevado de consciência, no qual via a Deus em todos os seres.

Sri Ramakrishna enfatizava a sinceridade e fidelidade ao caminho escolhido por parte do devoto, afirmando que este deveria considerar sua própria religião como a melhor para si mesmo, porém respeitando e considerando como verdadeiras as religiões dos demais.

Com Sri Ramakrishna

No limiar da mocidade, Narendra teve que atravessar um período de crise espiritual quando foi assaltado por dúvidas sobre a existência de Deus. Naquele tempo ouvira falar pela primeira vez a respeito de Sri Ramakrishna, de um de seus professores ingleses da faculdade. Em Novembro de 1881, Narendra foi conhecer Sri Ramakrishna que residia no Templo de Kali em Dakshineshwar. Ele fez imediatamente uma pergunta ao Mestre - pergunta essa que tinha levado a vários outros, porém sem receber qualquer resposta satisfatória: “Senhor, você viu Deus?” Sem hesitar um momento sequer, respondeu Sri Ramakrishna: “Sim. Eu O vejo tão claramente quanto vejo você aqui, só que com mais intensidade ainda.”

Aparte de ter removido as dúvidas da mente de Narendra, Sri Ramakrishna o ganhou sobre tudo pelo amor puro e totalmente desinteressado que tinha por ele. Assim, eles iniciaram uma relação de guru-discípulo sem precedentes na história dos mestres espirituais. Narendra agora visitava Dakshineshwar frequentemente e, debaixo da orientação do Mestre, alcançou rapidamente grandes progressos no caminho espiritual. Em Dakshineshwar, Narendra conheceu também vários outros jovens que eram devotados a Sri Ramakrishna, e todos eles tornaram-se grandes e verdadeiros amigos.

Passando por Dificuldades Familiares

Poucos anos depois, aconteceram dois eventos que causaram considerável angústia a Narendra. Um foi a morte súbita de seu pai em 1884. Isto deixou a família sem dinheiro, e Narendra teve que arcar com o fardo de sustentar sua mãe, irmãos e irmãs. O segundo evento foi a doença de Sri Ramakrishna que foi diagnosticada como um câncer da garganta. Em setembro de 1885 Sri Ramakrishna se mudou para uma casa em Shyampukur, e alguns meses depois para uma casa de campo alugada em Cossipore. Nestes dois lugares os jovens discípulos cuidavam do Mestre com total dedicação. Mesmo tendo que lidar com a carência de sua família e com a dificuldade de encontrar um emprego para si mesmo, Narendra participava do grupo como seu lider.

Início de uma Fraternidade Monástica

Sri Ramakrishna semeou nestes jovens o espírito de renúncia e de amor fraternal uns pelos outros. Um dia, distribuiu roupas ocres entre eles e lhes enviou para pedirem comida como esmola. E deste modo, ele assentau a fundação para uma nova ordem monástica. Ramakrishna deu instruções específicas a Narendra sobre a formação desta nova Ordem. Na madrugada de 16 de agosto de 1886 Sri Ramakrishna deixava o seu corpo mortal para sempre.

Swami Vivekananda como monge errante

Depois da partida do Mestre, quinze dos seus jovens discípulos (agora ainda mais unidos) começaram a morar juntos em um edifício dilapidado em Baranagar ao norte de Calcutá. Sob a liderança de Narendra, eles formaram uma fraternidade monástica, e em 1887 tomaram os votos formais de sannyasa, assumindo os novos nomes de monges. E assim, Narendra tornou-se Swami Vivekananda (embora tenha assumido este nome muito depois).

Consciência de uma Grande Missão

Depois de estabelecer a nova ordem monástica, Vivekananda ouviu o chamado interior para uma grande missão em sua vida. Enquanto a maioria dos seguidores de Sri Ramakrishna pensava Nele em relação às suas próprias vidas pessoais, Vivekananda pensou no Mestre em relação à Índia e o resto do mundo. Como o profeta da idade presente, o que era a mensagem de Sri Ramakrishna para o mundo moderno e para a Índia em particular? Esta pergunta e a consciência de seus próprios poderes inerentes impeliram a Swamiji que saísse sozinho pelo mundo afora. Assim, em meados de 1890, depois de receber as bênçãos de Sri Sarada Devi, o divina esposa de Sri Ramakrishna, conhecida no mundo como Santa Mãe, que estava morando em Calcutá, Swamiji deixou o mosteiro de Baranagar e embarcou em uma longa viagem de exploração e descoberta da Índia.

Descoberta da Verdadeira Índia

Durante suas viagens por toda parte a Índia, Swami Vivekananda foi tocado para ver a pobreza apavorante e o profundo atraso do povo. Ele foi o primeiro líder religioso na Índia a entender e declarar abertamente que a causa real da decadência daÍndia era a negligência dos pobres. A necessidade imediata era prover alimento e outras necessidades básicas de vida aos milhões de famintos. Para isto dever-se-iam ensinar-lhes melhores métodos de agricultura, comércio nas aldeias, etc. - e nesse contexto, Vivekananda captou o ponto crucial do problema da pobreza na Índia (que tinha escapado a atenção dos reformadores sociais dos daqueles dias): devido a séculos de opressão, as massas de oprimidos tinham perdido a fé na própria capacidade para melhorar suas condições de vida. Em primeiro lugar era necessário infundir em suas mentes a fé em si mesmos. Para isto eles precisaram uma mensagem inspiradora que lhes service de guia para a vida. Swamiji achou esta mensagem no princípio do Atman, a doutrina da divindade potencial da alma, ensinada em Vedanta, o sistema antigo de filosofia religiosa de Índia. Ele viu que, apesar de pobreza, as massas agarradas religião, mas eles nunca tinham sido ensinados o vida-dando, enquanto enobrecendo princípios de Vedanta e como os aplicar em vida prática.

Assim as massas precisaram de dois tipos de conhecimento: conhecimento secular para melhorar a condição econômica deles/delas, e conhecimento espiritual para infundir neles fé em eles e fortalecer o senso moral deles/delas. A próxima pergunta era, como esparramar estes dois tipos de conhecimento entre as massas? Por educação-esta era a resposta que Swamiji achou.

Necessidade de Uma Organização

Uma coisa ficou clara a Swamiji: Para realizar seus planos de expansão da educação e para o trazer diginidade aos pobres e também às mulheres, era necessário uma organização eficiente de pessoas dedicadas. Como disse mais tarde, ele quis “pôr em movimento uma maquinaria capaz de trazer as mais nobres idéias às portas do mais pobre e insignificante.” Foi para servir como esta maquinaria que Swamiji fundou a Missão Ramakrishna depois de alguns anos.

Decisão em Participar do Parlamento das Religiões

Foi quando estas idéias estavam ganhando forma em sua mente, no decorrer de suas andanças pela Índia que Swami Vivekananda ouviu falar do Parlamento Mundial das Religiões, que viria acontecer em Chicago em 1893. Seus amigos e admiradores na Índia queriam que ele assistisse ao Parlamento. Ele também sentia que o Parlamento proveria o foro correto para apresentar o mensagem do Mestre ao mundo, e assim ele decidiu ir à América. Outra razão que incitou Swamiji fazer esta viagem era a possibilidade de buscar ajuda financeira para seu projeto de soerguimento dos pobres.

Porém, Swamiji quis ter uma convicção interior e um chamado divino com respeito à sua missão. E foi o que ele teve enquanto estava em meditação profunda no rochedo da ilha de Kanyakumari. Com fundos em parte captados por seus discípulos de Chennai e em parte doados pelo Raja de Khetri, Swami Vivekananda se foi para a América de Mumbai no dia 31 de maio de 1893.

O Parlamento das Religiões e Depois

No Parlamento das Religiões em 1893

 

Suas conferências no Parlamento Mundial das Religiões proferidas em setembro de 1893 tornaram-no famoso como um 'orador com autoridade divina' e como 'mensageiro da sabedoria indiana para o mundo Ocidental'. Depois do Parlamento, Swamiji passou quase três anos e um semestre espandindo a mensagem da Vedanta conforme vivida e ensinada por Sri Ramakrishna, principalmente no leste dos E.U.A. e também em Londres.

Despertando Seus Compatriotas

Vivekananda regressou à Índia em janeiro de 1897. Com respeito ao acolhimento entusiástico que havia recebido em todos os lugares, fez uma série de conferências em partes diferentes daÍndia que criou um grande movimento por todo o país. Através destas palestras inspiradoras e profundamente significantes Swamiji intencionava:

3 Despertar a consciência espiritual das pessoas e o seu orgulho por terem uma herança cultural tão magnífica;

2 Produzir a unificação do Hinduísmo, enfatizando as bases comuns de suas diversas seitas;

1 Focalizar a atenção das pessoas educadas no infortúnio das massas oprimidas, e expor o seu plano para a construção da sua dignidade pela aplicação dos princípios da Vedanta Prática.

 

Fundando de Missão Ramakrishna

Em seguida a seu retorno para Calcutá, Swami Vivekananda realizou outra tarefa importante de sua missão neste mundo. Ele fundou no dia 1 de maio de 1897 um tipo de organização sem precedentes conhecida como Missão de Ramakrishna. Nela os monges e as pessoas de posição empreenderiam conjuntamente a propagação da Vedanta Prática, e várias formas de serviço social, como hospitais, escolas, faculdades, albergues, centros de desenvolvimento rurais etc, e administrando pesada assistência pública e trabalho de reabilitação para vítimas de terremotos, ciclones e outras calamidades, tanto na Índia como em outros países.

Mosteiro de Belur

Em 1898 Swami Vivekananda adquiriu uma grande porção de terra na margem ocidental do Ganges em um lugar chamado Belur para ser o domicílio permanente do monastério e da Ordem monástica que começou originalmente em Baranagar, registrado-o depois de alguns anos como Ramakrishna Math. Lá Swamiji estabeleceu um novo padrão universal de vida monástica que adapta ideais monásticos antigos às condições da vida moderna, que dá importância igual à iluminação pessoal e ao serviço social, aberto a todos os homens sem qualquer distinção de religião, raça ou casta.

 

Discípulos

Deve ser mencionado aqui que dentre os muitos Ocidentais que foram influenciados pela vida de Swami Vivekananda e por sua mensagem, alguns deles tornaram-se seus discípulos ou amigos dedicados. Dentre eles, os nomes de Margaret Noble (posteriormente conhecida como Irmã Nivedita), Capitão e Senhora Sevier, Josephine McLeod e Sara Ole Bull, merecem menção especial. Nivedita dedicou sua vida a educar meninas em Calcutá. Swamiji também teve muitos discípulos indianos, algum deles ingressaram no Mosteiro Ramakrishna vindo a tornar-se sannyasins (monges renunciantes).

 

Últimos Dias

Em junho de 1899, Vivekananda foi para o Ocidente em uma segunda visita. Nesta visita, ele passou a maior parte do tempo na costa Ocidental de E.U.A.. Depois de ter realizado muitas conferências, regressou ao Mosteiro de Belur em dezembro de 1900. O resto de sua vida foi passado na Índia, inspirando e guiando tanto a monges quanto a não monges. Seu trabalho incessante, especialmente fazendo conferências e proporcionando estímulo às pessoas, minaram a resistência de seu corpo. Sua saúde deteriorava-se e o fim lhe veio mansamente na noite de 4 de julho de 1902. Antes de seu Mahasamadhi (a morte consciente de um iogue realizado), ele havia escrito a um seguidor Ocidental: “Pode ser que eu considere positivo descartar este meu corpo, deixando-o de lado como uma peça de roupa desgastada. Mas não deixarei de trabalhar jamais. Eu inspirarei os homens de todos os lugares até que todo o mundo venha a saber que é um só com Deus.”

 

Cronologia e Principais Eventos Relacionados ao Swami Vivekananda

1863
12 de janeiro
Nascimento em Calcutá
1879
Entra para o Presidency College
1880
Transferências para a General Assembly Institution
1881
Novembro
Primeiro encontro com Sri Ramakrishna
1882...1886
Associação com Sri Ramakrishna
1884
Passagem no exame de B. A.
Seu pai falece
1885
Doença terminal de Sri Ramakrishna
1886
16 de agosto
Sri Ramakrishna falece
Queda
Estabelece o Mosteiro de Baranagar
24 de dezembro
Voto informal de sannyasa em Antpur
1887
Janeiro
Votos formais de sannyasa no Mosteiro de Baranagar
1890...1893
Viagens por toda a Índia como monge itinerante
1892
24 de dezembro
Em Kanyakumari, Sul Índia
1893
13 de fevereiro
Primeiro conferência pública, Secunderabad, Sul Índia,
31 de maio
Parte de navio de Mumbai para a América
25 de julho
Em Vancouver, Canadá
30 de julho
Chega em Chicago
Agosto
Conhece o Professor John Ft. Wright da Universidade de Harvard
11 de setembro
Primeiras palavras ao Parlamento das Religiões, Chicago,
27 de setembro
Últimas palavras ao Parlamento das Religiões
20 de novembro
Começa turne de conferências na região central do oeste dos Estados Unidos
1894
14 de abril
Começa conferências e aulas na Costa Leste
16 de maio
Fala na Universidade de Harvard
Julho-agosto
Na Conferência Religiosa de Green Acre
Novembro
Funda Sociedade Vedanta de Nova Iorque
1895
Janeiro
Começa a dar aulas em Nova Iorque
4-18 de junho
Em Camp Percy, New Hampshire,
Junho-agosto
No Thousand Island Park no rio São Lourenço, N.Y.,
Agosto-setembro
Em Paris
Outubro-novembro
Conferências em Londres
6 de dezembro
De navio para Nova Iorque
1896
22-25 de março
Fala na Universidade de Harvard, onde lhe é ofereceida a cadeira de Filosofia Oriental,
15 de abril
Retorno a Londres
Maio-julho
Dá aulas em Londres
28 de maio
Conhece Max Muller em Oxford
Agosto-setembro
Na Europa durante seis semanas
Outubro-novembro
Mais aulas em Londres
30 de dezembro
Segue de Nápoles para a Índia
1897
15 de janeiro
Chega em Colombo, Sri Lanka,
6-15 de fevereiro
Em Chennai
19 de fevereiro
Chega em Calcutá
1 de maio
Estabelece a Associação Missão Ramakrishna em Calcutá,
Maio-dezembro
Excursões ao noroeste da Índia
1898
Janeiro
Retorno a Calcutá
Maio
Começo da peregrinação ao Norte da Índia com devotos Ocidentais
2 de agosto
Em Amarnath, Cachemira
9 de dezembro
Consagra o Mosteiro de Belur
1899
19 de março
Estabelece o Advaita Ashrama em Mayavati
20 de junho
Retorno a Índia para a segunda visita ao Ocidente
31 de julho
Chega em Londres
28 de agosto
Chega em Nova Iorque
Agosto-novembro
Em Ridgely Manor, Nova Iorque
3 de dezembro
Chega em Los Angeles
1900
22 de fevereiro
Chega em São Francisco
14 de abril
Funda a Sociedade de Vedanta de São Francisco
Junho
Últimas aulas na Cidade de Nova Iorque
26 de julho
Retorno à Europa
3 de agosto
Chega em Paris para Exposição Internacional
7 de setembro
Fala ao Congresso de História das Religiões em Exposição
24 de outubro
Começa excursão em Viena, Constantinopla, Grécia e Cairo
26 de novembro
Retorno para a Índia
9 de dezembro
Chega ao Mosteiro de Belur
1901
Janeiro
Visita Mayavati
Março-maio
Peregrinação a Bengala Oriental e Assam
1902
Janeiro-fevereiro
Visitas a Bodh Gaya e Varanasi
Março
Retorno para o Mosteiro de Belur
4 de julho
Mahasamadhi