Precursores do Movimento Ramakrishna

O estabelecimento desta família universal foi assentado pelo próprio Sri Ramakrishna durante a sua vida.

Introdução

Um dos principais ensinamentos de Sri Ramakrishna é que nós somos apenas instrumentos ou máquinas, e Deus é o Operador. Esta é essencialmente a motivação que brilha eternamente no coração de Sri Ramakrishna e de seus dísciplulos: viver em Deus e serví-Lo em todos os seres com total dedicação e humildade, totalmente intocados pela ideia de serem mestres.

As vidas de Sri Ramakrishna e de todos os seus díscipulos diretos, sejam eles monges ou homens e mulheres de família, são fonte de inpiração para um profundo megulho na Espiritualidade prática. Cada uma delas demonstra, de maneira totalmente envolvente, que um ideal muito elevado não está fora do alcance da pessoa comum, e ao mesmo tempo nos faz submergir em profunda admiração por seus exemplos de vida valiosos e pela estatura por eles alcançada, sua capacidade de acender no coração humano o amor de Deus e a ânsia por Sua visão.

O Grande Mestre Ramakrishna era uma enorme e poderosa árvore. Suas raízes se ocultam no Invisível, Infinito e Absoluto Ser e sua manifestação se ergue ante a visão do homem como uma potente árvore bifurcando-se em vários ramos principais, dos quais, sem dúvida, as mais sólidas são a Santa Mãe e Swami Vivekananda.
Mas há outros ramos primários muito substanciais dessa árvore que agregam sua folhagem, seus frutos e sua sombra protetora a essa árvore principal. É notável que a variedade de talentos e arquétipos representados por estes discípulos é tão extensa como as fases do gênio espiritual do próprio Mestre.

Swami Vivekananda

Um gênio espiritual de grande intelecto e poder, que durante sua curta vida, 1863-1902, realizou intenso trabalho e dedicação a espiritualidade. Foi o líder dos discípulos de Sri Ramakrishna após sua morte.
→ leia mais

Sri Ramakrishna

Sri Ramakrishna (1836-1886) é considerado um grande santo e místico da Índia moderna. Sua vida foi um testemunho da verdade e da universalidade dos princípios espirituais, assim como da pureza e do amor.
→ leia mais

Discípulos monásticos

Sri Ramakrishna teve 16 dícipulos diretos (excetuando-se o Swami Vivekananda) que se tornaram monges da Ordem Ramakrishna trilhando o áspero caminho da renúncia tanto externa como interna. Estes também são considerados seus apóstolos. Todos exerceram um grande papel no Movimento Ramakrishna.
→ leia mais

Discípulos laicos

Sri Ramakrishna queria que seus díscipulos laicos cumprissem suas obrigações para com suas famílias. Sua renúncia tinha que ser mental. Não obstante ao seu envolvimento com as obrigações familiares, cada um deles demonstrou a vastidão da profundidade que a alma humana pode chegar quando unida a Deus.
→ leia mais